10 tendências de treino mais ultrajantes

Acho que todos podemos concordar que os conselhos sobre exercícios estão em todo lugar. Quantas repetições? Quantos conjuntos? Que músculos devo trabalhar? Definitivamente é o suficiente para fazer sua cabeça girar. Mas certamente existem alguns modismos no mundo dos exercícios que acho que todos podemos concordar que são ultrajantes. Prepare-se para suar com essas dez tendências de treino selvagens que deixam os fanáticos por fitness entusiasmados. Do Tae Bo ao Aqua Spin, estamos mergulhando nas maneiras mais malucas pelas quais as pessoas ficam em forma.

Relacionado: Pedal dos 10 piores influenciadores de práticas alternativas de saúde

10 Taebo

No mundo da moda fitness, onde as rotinas parecem tão fugazes quanto uma história do Snapchat, uma tendência de treino resistiu ao teste do tempo: Tae Bo. É o regime de condicionamento físico que combina artes marciais com boxe, e vem arrasando e ganhando nomes desde a década de 1990.

Imagine uma sala pulsando de energia, corpos golpeando, chutando e girando ao ritmo de batidas contagiantes. Esse é o cenário de uma típica aula de Tae Bo, onde Billy Blanks, o homem por trás dessa sinfonia de fitness, orquestra suor e determinação.

Tae Bo não é apenas uma mistura aleatória de chutes e socos. É uma fusão cuidadosamente elaborada de Tae Kwon Do, caratê e boxe, polvilhada com uma generosa dose de aeróbica. O resultado é uma extravagância que queima calorias e tonifica os músculos, deixando os participantes com a sensação de terem acabado de conquistar o Monte Everest.

Billy Blanks, o cérebro (e a força) por trás de Tae Bo, não encontrou o sucesso por acidente. Sete vezes campeão mundial de caratê e guru das artes marciais, Blanks combinou sua experiência com um talento para o espetáculo para criar um treino que atraiu legiões de seguidores em todo o mundo.

9 Cinto Vibratório

Quando se trata de modas fitness, sempre houve um certo fascínio pelo não convencional. Entre no cinto vibratório – um dispositivo que promete sacudir, sacudir e rolar os quilos extras com o mínimo de esforço. É matéria de infomerciais retrô e folclore de academia, mas por trás de sua fachada extravagante está uma história tão fascinante quanto seus supostos benefícios.

O cinto vibratório entrou em cena na década de 1950, defendido como o atalho definitivo para uma figura tonificada. Uma versão anterior criada pelo Dr. John Harvey Kellogg na década de 1920 foi originalmente destinada a estimular a circulação e promover a perda de peso. Com seu mecanismo vibratório preso à cintura, foi prometida aos usuários a felicidade do exercício passivo – tudo isso enquanto relaxavam no conforto de suas próprias casas.

Embora o apogeu do cinto vibratório possa ter passado, seu legado simboliza peculiaridades do condicionamento físico. Apesar do ceticismo em torno de sua eficácia, há uma certa nostalgia associada a livrar-se desses centímetros teimosos com um toque retrô.

Surgiram versões modernas da cinta vibratória, agregando designs elegantes e tecnologia avançada. No entanto, a promessa fundamental permanece inalterada: uma solução rápida para os entusiastas do fitness que procuram trapacear para conseguir um físico tonificado. No entanto, os especialistas alertam que, embora a sensação de vibração possa estimular temporariamente os músculos, não substitui o exercício tradicional e uma dieta equilibrada.

8 Pilates de skate

O Skate Pilates surge como uma ousada fusão de equilíbrio, força e agilidade. Imagine os participantes executando movimentos de Pilates em cima de um skate, combinando o Pilates tradicional com a emoção de um pedaço sólido.

Basicamente, o Pilates no skate tem como objetivo estabilizar os músculos enquanto envolve grupos musculares maiores. Cada movimento requer um nível elevado de foco e controle enquanto os participantes navegam na instabilidade do skate abaixo deles. Desde exercícios clássicos de Pilates, como o Hundred and the Teaser, até movimentos mais dinâmicos, como a prancha do skate e o pique rolante, cada sessão promete um treino de corpo inteiro com um toque indutor de adrenalina.

Além dos benefícios físicos, o skate Pilates oferece um desafio mental, exigindo concentração e atenção plena. Os participantes devem entrar em sintonia com seus corpos e com os movimentos da prancha, promovendo uma conexão mais profunda entre mente e músculos. Embora o Pilates no skate possa parecer um treino de nicho, sua popularidade está crescendo entre os entusiastas do fitness que buscam maneiras não convencionais de se manter em forma.

7 Cintos Ab elétricos

Quando se trata de alcançar aquele pacote de seis coisas indescritível, a busca por atalhos pode levar a caminhos verdadeiramente eletrizantes. Diga olá ao cinto abdominal elétrico, um dispositivo que promete deixar sua barriga em forma enquanto assiste às suas séries favoritas. Mas antes de vestir esta maravilha moderna, vamos separar os zíperes dos zaps.

O conceito de estimulação elétrica muscular (EMS) não é exatamente novo. Tem sido usado para fisioterapia e reabilitação muscular há décadas. No entanto, transformá-lo em uma solução de treino passivo ganhou impulso no mundo do fitness na década de 2000. E assim nasceu o cinto abdominal elétrico.

A premissa é simples: coloque o cinto na cintura, aperte o botão e deixe os impulsos elétricos fazerem o trabalho pesado – literalmente. Esses impulsos desencadeiam contrações musculares, imitando os efeitos de abdominais e abdominais sem o esforço que induz o suor.

O criador de um dos cintos abdominais elétricos mais populares, Slendertone, afirma que seu dispositivo pode estimular todos os principais músculos abdominais, prometendo abdominais mais firmes em semanas. Mas antes de começar a substituir sua assinatura da academia por um acessório alimentado por bateria, vamos nos aprofundar nos fatos. Embora algumas pesquisas sugiram que ele pode melhorar o tônus ​​muscular com o uso consistente, outros argumentam que os resultados são mais prováveis ​​devido à dieta e à atividade física em geral.

6 Fatos de sauna

No fitness, onde tendências bizarras muitas vezes surgem mais rápido do que você pode dizer “burpee”, uma moda particularmente quente tem virado cabeças (e pingando suor) – o traje de sauna. Imagine estar vestido da cabeça aos pés com o que parece ser um traje espacial de plástico – não exatamente de alta costura, mas inegavelmente atraente.

Os trajes de sauna tornaram-se populares à medida que os entusiastas buscam atalhos para perda de peso e desintoxicação. O conceito é simples, mas um tanto extremo: vestir uma roupa de sauna durante o exercício transforma seu treino em uma sessão de sauna pessoal, induzindo muito suor.

Inicialmente concebidos para atletas que pretendiam perder peso rapidamente antes das competições, estes fatos encontraram desde então o seu caminho na cultura do fitness convencional, apelando àqueles que perseguem o sonho da rápida perda de gordura.

Embora a transpiração possa levar à perda temporária de peso devido à depleção de líquidos, não é uma estratégia sustentável ou saudável a longo prazo para perder peso. Além disso, o uso prolongado de roupas de sauna pode causar desidratação e até insolação se não for usado com cautela.

5 Agite o peso

Imagine um haltere aparentemente inócuo, mas com uma reviravolta – literalmente. O Shake Weight, apropriadamente chamado, depende de movimentos rápidos de agitação para tonificar e esculpir os músculos em tempo recorde. É como se alguém olhasse para um haltere normal e pensasse: “Sabe do que isso precisa? Mais oscilação.”

Inventado por Johann Verheem, o Shake Weight entrou em cena no final dos anos 2000, prometendo revolucionar os exercícios para os braços com seu design vibrante e oscilante. Com o endosso de celebridades e infomerciais beirando a paródia, o Shake Weight rapidamente se tornou um fenômeno da cultura pop.

Apesar de sua reputação irônica, o Shake Weight tem alguma ciência por trás dele. A agitação rápida supostamente envolve os músculos com mais intensidade do que o levantamento de peso tradicional, levando a resultados mais rápidos. No entanto, os especialistas permanecem céticos quanto à sua eficácia, e alguns até o apelidaram de “Shake Weight Sham”.

Mas não vamos descartar totalmente o Shake Weight. Afinal, qualquer treino que possa provocar risadas enquanto queima calorias merece pelo menos um aceno de reconhecimento. Além disso, observar alguém sacudir vigorosamente o que parece ser um maracá futurista é divertido.

4 Prancercise

Os modismos do fitness muitas vezes vêm e vão mais rápido do que uma resolução de Ano Novo. Ainda assim, uma tendência se destaca como absurda e estranhamente eficaz: Prancercise. Sim, você leu certo. Prancercise é um regime de exercícios legítimo que combina a graça de uma gazela com o cardio de uma corrida, ao mesmo tempo que canaliza o seu cavalo interior.

Criado pela carismática Joanna Rohrback, Prancercise entrou em cena em 2012 com um vídeo viral que deixou os espectadores coçando a cabeça e pegando os tênis de corrida. O conceito? Exercitar-se imitando os movimentos de um cavalo em vários andamentos, desde o leve e arejado “Prance” até o completo “Gallop”.

Mas não se deixe enganar pela natureza caprichosa de Prancercise. Por baixo do seu exterior lúdico encontra-se um treino que pode deixar até os frequentadores de academia mais experientes suando a camisa. Ao envolver os músculos centrais e promover a postura adequada, Prancercise oferece um treino eficaz para o corpo inteiro, de baixo impacto e acessível a pessoas de todos os níveis de condicionamento físico.

3 Corpo Flexível

Imagine fazer mais do que apenas exercícios normais de respiração profunda. Você está flexionando todos os músculos, do diafragma ao dedinho do pé. Criado por Greer Childers na década de 1990, Body Flex promete oxigenar seu corpo como nunca antes, enquanto o transforma em uma obra-prima digna de um jardim de estátuas gregas.

A premissa é simples, mas exagerada: contorça o corpo em várias posições enquanto sincroniza a respiração para aumentar o fluxo de oxigênio. Pense nisso como ioga com esteróides, sem os esteróides reais. Os defensores juram pela sua eficácia em tonificar os músculos, melhorar a flexibilidade e reduzir o estresse. Os céticos podem rir ao ver adultos bufando e bufando enquanto se contorcem no que só pode ser descrito como um pretzel humano.

Apesar da teatralidade surpreendente, há alguma ciência por trás da loucura. A respiração profunda há muito é elogiada por seus benefícios no alívio do estresse e na melhoria da saúde, e adicionar um toque especial (literalmente) apenas amplifica os efeitos. Além disso, é difícil argumentar contra os seguidores de culto que o Body Flex acumulou ao longo dos anos.

2 Equilíbrio de poder

A pulseira Power Balance foi lançada em meados dos anos 2000 com grandes promessas e marketing chamativo. Ele usava tecnologia holográfica embutida em uma faixa de silício e acreditava-se que aproveitava a energia natural do corpo para melhorar o desempenho.

Atletas e celebridades o endossaram, jurando por seus poderes mágicos. Mas, infelizmente, a ciência foi a desmancha-prazeres. Numerosos estudos desmentiram as afirmações, mostrando que as bandas tiveram tanto efeito no desempenho quanto um pé de coelho da sorte.

Como um óleo de cobra moderno, Power Balance teve seu apogeu antes de cair na terra em uma explosão de ceticismo. Seguiram-se ações judiciais, alegando propaganda enganosa e marketing enganoso. A empresa acabou cedendo, admitindo que as suas alegações careciam de base científica.

1 Aqua Spin

Aqua Spin pega a aula de spin convencional e a joga na piscina, literalmente. Imagine uma bicicleta giratória submersa na água, pedalando contra a resistência enquanto a felicidade flutuante o envolve. É como andar de bicicleta pela Atlântida, sem as sereias.

No entanto, esta maravilha aquática é na verdade apoiada pela ciência. A água fornece resistência natural, proporcionando aos seus músculos um treino sério, sem o impacto das aulas de spin tradicionais. Além disso, a pressão hidrostática da água promove a circulação e reduz a dor pós-treino. Então você pode se sentir totalmente louco, mas existe um método para toda essa loucura.

Hoje em dia, as aulas de Aqua Spin estão surgindo em academias de ginástica da moda em todo o mundo, atraindo entusiastas ansiosos por dar um mergulho em suas rotinas de exercícios. Com música pulsante, água agitada e uma pitada de camaradagem, não é apenas um treino. É uma festa na piscina a pedal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *